D-Flex 

Equipa de coordenação do projeto

RESUMO DO PROJETO

Desenvolver a flexibilidade para o sucesso (D-Flex) é uma abordagem pedagógica completamente nova, necessária para reforçar a dimensão europeia da educação. Líderes empresariais afirmam que a ênfase excessiva em avaliação durante o ensino obrigatório privou os alunos da chance de desenvolver as habilidades necessárias para enfrentar os desafios globais. A globalização e o desenvolvimento contínuo de novas tecnologias obrigam os europeus a adaptarem-se constantemente às novas condições. A economia global é dura para os trabalhadores diligentes e confiáveis ​​de ontem que buscam uma carreira de longo prazo com segurança no emprego. O futuro pertence a uma geração de pessoas engenhosas, ambiciosas e adaptáveis, que revelam iniciativa. No entanto, competências e orientação são necessárias para ajudar os alunos a desenvolverem as habilidades necessárias para que hoje sejam preparados para o futuro. Um bom começo seria mudar a maneira pela qual as escolas preparam os jovens para a vida adulta. Além de desenvolver habilidades básicas e transversais, como a capacidade de aprender e a iniciativa, as pessoas vão lidar com as diversas e imprevisíveis carreiras da atualidade. A abordagem pedagógica canalizada para aluno deve centrar-se na melhoria e atualização dos métodos de ensino-aprendizagem, com especial atenção à transformação digital e ao multilinguismo. A sala de aula de hoje ainda é um ambiente artificial para aprender, a participação em projetos de parceria com escolas de diferentes países dará aos estudantes e professores uma rara oportunidade de colocar seus conhecimentos e habilidades em prática em diferentes situações, aumentando assim sua motivação para a partilha.  

O D-Flex é um projecto que visa promover a colaboração e partilha de diferentes estratégias práticas de ensino / aprendizagem entre profissionais de diversas áreas, reforçar a  competência linguística dos participantes, conhecer colegas de diversas culturas em toda a Europa para estabelecimento de parcerias. Na era da migração económica generalizada, onde a noção de fronteiras desaparece, dissipar mitos, destruir estereótipos e preconceitos parece ser uma prioridade europeia, porque as pessoas conscientes da diversidade cultural tornam-se mais tolerantes e tendem a discriminar menos. Assim, a parceria no projeto pode levar a uma melhor compreensão e cooperação entre os cidadãos europeus de amanhã. A Europa e a vida escolar estão se movendo rapidamente. Que tipo de escolas queremos para o futuro? Como apoiamos o aprendizado e motivamos nossos filhos melhor? Qual é o papel das TIC nas salas de aula modernas? Como podemos efetivamente usar diferenciação pedagógica na sala de aula? Todas estas questões serão melhor respondidas se forem discutidas com pares, estudantes e pais de diferentes áreas da Europa.

SELEÇÃO DOS PARTICIPANTES

Os candidatos foram selecionados  de acordo com o alcance da sua actuação, abertura à inovação, o seu dinamismo e a sua disponibilidade, tanto para a frequência da ação como para a posterior disseminação do conhecimento e, ainda  do grau de conhecimento das necessidades e da realidade escolar, tratando-se de elementos com cargos de coordenação e participantes em órgão de gestão e administração.

24.jpg

Aldina Saraiva

Professora de inglês com experiência em projetos europeus, sendo a responsável pela coordenação de projetos nacionais e internacionais, organização de simpósios, workshops e estabelecimento de contatos com a mídia. Possuim experiência em projetos Erasmus + e mobilidade Erasmus +. Em 2017 e foi responsável pela realização de um KA2 voltado para crianças com deficiências mentais. Seu nível de inglês é excelente, o que facilitará os preparativos práticos, como administração e preparação para viagens.

26.jpg

Joaquim Almeida

 

Professor de Física e Química e diretor adjunto. É orientador de alunos em vários projetos científicos nacionais e internacionais, premiados. Participou com estudantes em vários projectos de ciência, em colaboração com instituições locais e com a Universidade de Aveiro, em Portugal, e cooperou no intercâmbio de programas no exterior. Ao longo dos anos em que esteve na AEOB, implementou abordagens de ensino motivadoras, aumentando assim participação do agrupamento em feiras e eventos de ciências.

Carla Frias

Professora de Educação Visual, Educação Tecnológica e Expressão Artística estabelece parcerias com órgãos locais e mobiliza encarregados de educação para construção e execução de projectos. 

IMG_2058.JPG

Fátima Pires

 Professora de Física e Química no ensino Secundário que utiliza ferramentas e metodologias relacionadas com as tecnologias de informação e comunicação em sala de aula,  plataformas que fomentam Inquiry Based Education - Go-Lab, e-Twinning.

IMG_1912.JPG